Publicidade

Até mesmo quem não é fascinado pelo mundo dos esportes reserva um pouco do seu tempo para se dedicar a assistir as Olimpíadas. A união dos povos, cada um em seu país, torcendo pelos seus atletas, é contagiante. A emoção dos jogos tem o poder de transformar a atmosfera em algo mágico.

A próxima Olimpíada será em 2024; sediada em Paris, na França, do dia 26 de julho até 11 de agosto. E, por mais que ainda tenhamos muitos dias para entrar no clima olímpico, nunca é cedo para já ficar animado e na expectativa de compartilhar momentos com família e amigos, torcendo juntos pelos atletas do nosso país.

Confira abaixo, algumas curiosidades sobre as Olimpíadas.

Publicidade

1- Onde tudo começou

A primeira edição dos Jogos Olímpicos aconteceu na Grécia, em Olímpia, no século VIII A.C. Eles eram realizados a cada 4 anos – como ainda é hoje em dia – e continuaram assim por cerca de 12 séculos. Mas, no século IV D.C, todos os festivais pagãos foram proibidos pelo imperador Teodósio I e isso também incluía as Olimpíadas.

A tradição só foi ressuscitada cerca de 1500 anos depois!

Os primeiros Jogos Olímpicos modernos foram realizados em 1896, na Grécia. Nessa época, os atletas competiam nus e o jogos duravam de 5 a 6 meses.

Publicidade

2- A tocha olímpica

Um dos maiores símbolos das Olimpíadas é a tocha. Ela é iluminada a moda antiga em uma cerimônia no templo de Hera, na Grécia. Atrizes são convidadas para a simulação, onde, vestidas de sacerdotisas gregas, usam os raios de sol e um espelho para acender a tocha.

Depois disso, ela é levada para sue revezamento na cidade anfitriã. Em toda história das Olimpíadas, a tocha já viajou de cavalo, avião, barco, canoa e até mesmo na corcova de um camelo.

A chama olímpica deve estar acesa durante todo o período dos jogos. Caso ela se apague, ela só pode ser reacesa com uma chama reserva que também foi acesa na Grécia. Ela nunca deve ser acendida com um isqueiro qualquer.

3- Novo esporte em 2024

Publicidade

Na próxima edição dos Jogos, teremos a estreia do breaking, uma competição de breakdancing que mistura movimentos atléticos, gingados e giros para trás ou de cabeça.

Durante a rotina, os atletas – também conhecidos como b-grils e b-boys – são julgados por diversos critérios, incluindo criatividade, velocidade, força, estilo, ritmo, habilidades técnicas e agilidade.

A modalidade ganhou muita popularidade nos Jogos Olímpicos da Juventude de Verão 2018, em Buenos Aires. No final de 2020, o esporte foi selecionado para a programação de Paris 2024, junto com o skate, escalada esportiva (que estreou em 2020, na edição de Tóquio) e o surfe.

Em 2024, teremos a programação de apresentação de 32 esportes, abrangendo 306 eventos.

4- Surfe olímpico no Taiti

Em 2021 o surfe se mostrou um esporte popular entre os brasileiros, que vibraram com a medalha de ouro de Ítalo Ferreira. Em Paris, iremos acompanhar a competição diretamente do Taiti – a maior ilha da Polinésia Francesa, um coletivo de territórios ultramarinos da França.

A ilha foi escolhida como sede em 4 locais da França Continental: Lacanau, La Torche, Biarritz e Le Landes. Quando a competição tiver seu início em 2024, teremos a quebra do recorde de medalha Olímpica mais distante da cidade anfitriã; a 15.700 quilômetros de Paris.

5- Emblema olímpico e Paralímpico de 2024

Pela primeira vez, temos o mesmo emblema olímpico sendo usado para os Jogos Paralímpicos. O logo, revelado em 2019, é a junção de 3 ícones: a chama, Marianne – um importante símbolo da Revolução Francesa – e a medalha de ouro.

Gostou de saber um pouco mais sobre a história dos jogos e o que está por vir? Conte nos comentários o que você já sabia e o que foi novidade para você!